sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Quem Tem Medo da Literatura Contemporânea? (Um Texto Direcionado para Os(As) Futuros(as) Escritores(as) Sem Medo)

(A.Lessa)

O poder na primeira pessoa
Poder em última instância
A mão alcançando o chapéu,
Acima de qualquer circunstância
Poder, poder, poder,
poder até não mais poder.

(O Poder - Marcelo Nova)


Ser humano gosta de poder.
Ser humano é gostar de poder, e do poder.
Ser humano gosta mesmo é do poder.
O universo literário, tão cheio de liberdade, está embriagado do medo da perda. Não é incomum a discussão sobre direitos autorais, sobre os creative commons da vida... Sobre de quem é o poder acerca da criação. O escritor, por mais humilde que finja, tem mania de Deus. Tende a ser o dono de seu universo criativo, da obra de arte – não mexa! Pode quebrar...

O escritor sabe que suas idéias são frutos de suas relações, mas prefere deixar subentendido. Sabe que o livro não vai sumir com o advento da tecnologia, no máximo ocorrerá mudanças no formato - mas mantenha o alarme ligado!
Tão hábil na criação do novo, mas quando falam de cyberliteratura... retrocesso.

E o leitor, o que pensa?
Ora, o leitor é ser humano.

Invoco Charles Dodgson para responder esse problema de lógica:

- Ser humano gosta do poder.
- Escritor gosta do poder.
- Leitor é ser humano.

Será que... leitor = escritor?!

Se sim, de quem é a criação? Quem tem a força, He-man?

Não tenho plena certeza, mas acho que o leitor aprendeu a gostar de interagir com o Big Brother (o da Globo mesmo. Quem dera fosse o de George Orwell...). Gostou de jogar. Talvez queira interagir de forma mais lúdica com a obra literária, não sei... Acontece que essa indefinição nos papéis está causando um rebuliço no mundo literário. E, onde há muita liberdade, há quem se sinta desprestigiado, ou seria desapoderado? Eu diria mais: amedrontado.

Em tempo:

- Charles Dodgson era matemático.
- Charles Dodgson adorava lecionar Lógica.
- Lewis Carrol escreveu Alice no País das Maravilhas.
- Lewis Carrol adorava Fotografia.
- Charles Dodgson é Lewis Carrol.

Será que... matemático = professor = escritor = fotógrafo?

Afeito às novidades, eu quero é mais. Até brincar com meus sofismas... Ou seriam silogismos disfarçados?

P.S: Sou escritor, ser humano, e gosto de poder... poder ser livre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário