quarta-feira, 28 de junho de 2017

Okja





Este é um filme sobre ganância, o poder das empresas, extremismo e ativismo animal. Provavelmente vai agradar a vegetarianos, mas, no fundo, talvez sua maior característica seja o cinismo.


Sinismo por mostrar o quanto é cruel o sistema de criação de gado para o abate, mas, no fim dizer que, infelizmente, tudo vai continuar como sempre foi. Não existe uma Temple Grandin nesse filme, e todos os protótipos de uma se mostraram totalmente impotentes frente ao sistema.


Na trama, uma empresa realiza mudanças geneticas em animais de corte visando criar um novo tipo de gado que seja, no fim das contas, mais lucrativo para ela.


Um desses animais vai ser criado cercado de amor por um idoso e sua neta numa numa região montanhosa paradisíaca.


Depois de dez anos a empresa quer recuperar seu investimento, mas, a menina não vai ficar de braços cruzados vendo sua amiga se tornar bacon.
Filme bom. Boas atuações de Tilda Swinton, Jake Gyllenhaal, Paul Dano e da menina Seo-Hyun Ahn.


Tem uma temática um pouco baseada em ficção científica, bem pouco, mas, tá valendo, é um bom filme. Parabéns Netflix.