sexta-feira, 8 de maio de 2015

Suicídio

O sol está no ápice
Os pássaros cantam
Uma triste canção
Destas de animar enterro
Que tem por estribilho:

"Que dia bonito para um suicídio
Um dia perfeito para se matar!"

Sobre a mesinha
Manteiga, torrada,
Café e chá.

No buquê
Rosas vermelhas, samambaias,
Flores do campo, chuva de prata,
Que ostentam também
Um outro nome vulgar.

Na lápide não haverá epitafio.
Ninguém mandou se matar.

O céu está esplêndido
Os pássaros cantam
A mesma triste canção.

"Que belo dia para uma prova,
Um dia perfeito para se conhecer
Por dentro uma cova!"

Numa lápide estava escrito
Um fato concreto
Numa outra um fato abstrato
Eu, se pudesse, escreveria apenas
Suicídio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário