segunda-feira, 20 de abril de 2015

Ser Sem Estar

Não diga adeus,
Diga até já.
Vi que fostes embora,
Mas, sei que vais voltar.
Sei o que quero,
O que não quero um dia saberei.
Maldita hora que nosso amor morreu.
Não tenho pá para enterrar o que sinto.
E, o que sinto, sei que existe pois o sinto.
Grandiosa pequenez do humano,
Você sai pela porta,
E eu tento ver se dá pra
Ser Sem Estar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário