quarta-feira, 15 de abril de 2015

Erros De Novo

Na realidade, ou irrealidade,
Eu não acredito na humanidade.
Não é da derrocada das utopias que falo,
Apenas não acredito em mim.
Sei o quanto sou mentiroso,
Por mais que prometa mil coisas,
Sempre repito meus erros de novo.

Não me faça discursos vazios de significado.
Não diga que precisamos
Reconstruir o que foi desconstruído.
Eu acredito na igualdade.
E, se todos são iguais a mim,
Sei o quanto sou orgulhoso,
Por mais que prometa mil coisas,
Sempre repito meus erros de novo.

Não estou falando de estado de natureza,
Nem de estado de guerra.
Apenas de como é fácil
Maltratar a quem nos ama,
Ou enganar quem não engana.
Falo com a autoridade de quem
Conhece bem a peça.
Sei o quanto sou rancoroso,
Mesmo que peça desculpas,
Sempre repito meus erros de novo.

E de novo,
E de novo,
E de novo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário